Peter Stan Parker Lee

“Vou te dar um pouco de mim…” Deve ter sido que o próprio Stan Lee disse quando criou Peter Parker, talvez ele seja o personagem que mais representa o próprio Stan e por isso seja tão amado pelo público. À ele, Lee dedicou boa parte dos infortúnios inimagináveis que alguém pode viver, porém imensamente realistas e talvez inspirados na própria história.

Basta olhar para uma foto antiga do seu criador para perceber a semelhança que Stal Lee tinha com o personagem que viria a ser a pessoa que mais cobraria e exigiria de Peter Parker, não reconhecendo os esforços do jovem fotógrafo, remunerando mal o seu trabalho e perseguindo insistentemente o seu alter-ego, talvez uma personificação das frustrações do período enquanto trabalhava como office-boy e quase desistia do seu sonho. Peter já estava, como ele, passando do período de dar um rumo em sua carreira de cientista e perdia tempo como fotógrafo enquanto o próprio Stan enxergava o seu sonho se distanciar enquanto buscava almoço ou café para o pessoal do escritório.

A vida de Parker não foi fácil, assim como a do próprio Lee, que vivia em uma casa humilde com as despesas apertadas pelo trabalho esporádico de seu pai, assim como os avós de Peter e mais tarde sua Tia May. Quando se tornou independente, já possuía o próprio apartamento, no qual permaneceu após se casar com Mary Jane e se assemelhava a “um apartamento no terceiro andar voltado para fora” onde Stan viveu com seus pais e irmão.

O ainda jovem Lee estava prestes a propor casamento a sua namorada quando viu uma modelo ruiva passar na Madison Avenue e que o fez mudar de ideia, foi assim que conheceu Joan Boocock que viria a se tornar sua esposa, e em quem o autor se inspirou para fazer a modelo ruiva que também viria a se tornar esposa do seu principal personagem. Talvez por uma auto reflexão e reconhecimento, ele tenha feito Peter Parker sofrer com desencontros e decepções amorosas por causa de Mary Jane repetindo em seu personagem a mágoa que causara em sua antiga namorada por causa da mulher que viria a ser sua futura esposa.

Peter Parker ainda não poderia viver em paz sem antes refletir mais um fato importante na vida de Stan Lee. Os fãs nunca entenderam como uma amor lindo e arrebatador foi retirado da vida do jovem fotógrafo quando Gwen Stacy teve sua morte trágica e repentina, assim como Stan perdeu sua segunda filha Jan Lee que faleceu três dias após o parto.

Essas perdas, desencontros e dificuldades inimagináveis colocadas na vida de Peter Parker não só serviram para trazer o personagem o mais próximo do publico possível como refletiu em sua grande maioria a vida do próprio Stan Lee e serviu para ajudar a tornar o aracnídeo uns dos personagens mais amados do Universo Marvel e até mesmo dentre todas as HQs conhecidas.

Dá pra enxergar desentendimentos profissionais refletidos nas brigas com o seu amigo de escola, as perdas de emprego relacionados a vida difícil que Stan teve nos seus trabalhos com as dificuldades que Peter teve no início da sua carreira, a influencia da educação dos seus pais imigrantes com as lições dadas por seus avós.

“Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”, esse talvez seja o maior legado que Stan tenha deixado para Peter, talvez até como um recado pra ele mesmo em virtude do que criava naquele momento. Lee deixava para ele um vislumbre do universo fantástico que estava criando e a responsabilidade para com aqueles que viria influenciar.

Essa virada repentina na vida do criador da Marvel estava evidente na forma inesperada com que Parker ganha seus poderes, como uma inexplicável aranha radioativa mudou sua vida quando menos esperava e seu futuro apontava para outra direção.

Não é possível ver uma Peter Parker sem um Stan Lee e nem um Stan Lee sem um Peter Parker, ambos são um, que refletem não apenas os seus sonhos e ideais, mas o de toda uma nação de fãs e admiradores, que se estendem até onde o fio de uma teia possa alcançar e capaz de suportar mais do que a sua imaginação pode tentar.

Stan Lee nasceu em 1922 e viveu como um herói enfrentando todos os obstáculos que o destino colocava em seu, caminho e foi vencido pelo tempo em 2018.
Peter Parker nasceu 1962 e viveu como uma homem enfrentando todos as dificuldades que a vida lhe apresentava e viverá para sempre espelhando os sonhos do homem que o inspirou.

Ao Stan “The Man” Lee desejamos de coração: Excelsior!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s