Stan Lee’s Lucky Man

landscape-1453469079-tv-lucky-man-james-nesbitt-04

O poder de controlar a própria sorte é o que faz do detetive Harry Clayton ultrapassar todas as barreiras possíveis alimentando o seu vício de apostar. Criado por Stan Lee em parceria com Neil Biswas, ou ao contrário se preferir, e produzida pela Carnival Films junto com a POW! Entertainment para a SKY 1, a série estreou em 22 de janeiro de 2016 mantendo uma média de 1,49 milhões de espectadores por episódio e se tornando até hoje, a série de maior sucesso do canal.

JrcKmnB

Logo de cara você percebe que a série usa uma linguagem e um ritmo diferente das produções a partir das criações do Sr. Lee que você está acostumado a ver, mas por ter sido mais uma dessas co-criações da qual já estamos calejados a encontrar, visto que seu nome figura entre a maioria dos personagens, senão todos, apenas por ter sido criado sob o seu teto e nesse caso, por pura inspiração.

A mote foi construída a partir dos questionamentos dos fãs sobre que poder Stan Lee gostaria de ter: Sorte… Essa foi sempre a sua resposta, e em cima disso Neil Biswas construiu todo o universo em torno do personagem e escreveu o primeiro roteiro, que foi logo aprovado, assumindo assim os principais enredo da primeira temporada, deixando para Stan Lee a sua já conhecida participação especial em cada temporada da série.

SLLM-6

Depois de uma noite com a misteriosa Eva, Harry acorda com uma estranha pulseira em seu pulso e logo percebe que ela é a responsável por uma onde de sorte absurda que começa a ter, isso só serviu pra incentivar o seu vício, que já havia lhe tirado sua família, além de deixa-lo profundamente endividado com o dono de um cassino. A vida em volta do Esquadrão de Homicídios do Centro de Londres faz com que o detetive abuse em todos os níveis de suar sorte, ou enquanto ela durar.

Sem medo, e nem um pouco interessado em guardar segredos, o primeiro episódio já abre apresentando o “personagem” principal da série, a pulseira e seu antigo proprietário em seus últimos minutos juntos, para só então dar continuidade à abertura e apresentação dos demais personagens e cenários. Lucky Man fala dessa sorte que todos nós queremos na vida, apresenta uma narrativa noir como pano de fundo, detetives, investigações criminais, cassinos e corrupções pessoais.

luckyman

Herry é interpretado pelo ator norte-irlandês James Nesbitt, que dá um toque de humor negro em sua interpretação e alivia a tensão e o peso das cenas e dos acontecimentos, fortalecidos pela seu característico jeito de ator noir, quase que fundamental para o enredo. É muito bom ver personagens tipicamente americanos construídos e ambientados em cenários fora do território dominado pelos heróis da Marvel e da DC Comics, ainda que este se aproxime muito mais dos personagens da Bonelli Comics e seus detetives fantásticos e talvez isso se deva por mérito ao próprio Neil Biswas.

As aventuras de Harry Clayton já se encontram na terceira temporada e ainda mantendo a média de espectadores, mas está disponível apenas no Sky 1 e no serviço de streaming de TV NOW TV no Reino Unido e na Irlanda.

2 Respostas para “Stan Lee’s Lucky Man

  1. É sempre uma grata surpresa ver produções criativas e inovadoras que saem da caixinha e chegam com algo novo, pode até não agradar a muitos que estão acostumados com os velhos uniformes e capas, mas não podemos negar, “heróis” não precisam ter capa, nem precisam ser super… nem mesmo heróis.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s