MinDHUnter: A Era dos Serial Killers

Image result for MindhunterNo final da década de 70, dois agentes do FBI expandem a ciência criminal investigando a psicologia do assassinato e ficando assustadoramente perto de monstros muito reais.

Mindhunter é uma série criada por Joe Penhall, com base no livro Mindhunter: O Primeiro Caçador de Serial Killers Americano, escrito por John E. Douglas e Mark Olshaker e publicado no Brasil pela editora Intrínseca. A série é produzida por David Fincher e Charlize Theron entre outros, e estreou na Netflix em 13 de outubro de 2017 e já foi renovado para uma segunda temporada em abril de 2017, seis meses antes de sua estréia.

O diretor de Seven e Zodíaco apresenta uma série sólida sobre o começo da psicologia criminal. No primeiro episódio um dos personagens diz: “O mundo não faz nenhum sentido, então é compreensível que o crime também não”. Você pode pensar que é apenas mais uma estória sobre psicopatas e a dupla de policiais que não gostam um do outro mas que precisam aprender a trabalhar juntos. Entretanto, após os primeiros episódios, fica claro que existem muito mais camadas envolvendo os dois agentes do FBI e os criminosos que eles perseguem.

Curiosamente, os Estados Unidos, com menos de 5% da população mundial, produziu 84% de todos os casos conhecidos de serial killers desde 1980. As forças policiais não estavam preparadas para resolver os casos envolvendo esse tipo de criminosos, indivíduos aparentemente respeitáveis – atraentes, bem sucedidos, membros ativos da comunidade – até que seus crimes fossem descobertos. Para isso, era necessário uma nova abordagem por parte das forças policiais. Entravam em ação os protagonistas Agente Holden Ford (Jonathan Groff) e Agente Bill Tench (Holt McCallany), orientados pela Doutora Wendy Carr (Anna Torv).

Image result for Mindhunter

Para entender o que motiva esses novos criminosos os agentes decidem entrevistá-los, voando para diferentes partes do país, e aqui a série aborda também os efeitos que esses contatos exercem não só nos estudos comportamentais, como também na vida pessoal dos agentes.

Já nos primeiros episódios, é possível sentir uma familiaridade muito grande com filmes como O Silêncio dos Inocentes e a excelente série de TV Hannibal, e isso não é por acaso. Essas obras foram pesadamente inspiradas em diversos casos reais de assassinos seriais que assolaram os Estados Unidos entre as décadas de 70 e 80. Os mesmos casos que são apresentados aqui de forma impactante e realista ao longo da série.

Diretor de 4 dos 10 episódios e também produtor da série, David Fincher se mostra à vontade em contar a estória desses personagens que tanto provocam fascínio do público e da reação e aprendizado dos protagonistas, tão vulneráveis aos horrores causados por esses monstros de vidas trágicas quanto qualquer um de nós seria.

No fim do décimo episódio é possível perceber o quanto cada um dos personagens foi afetado pelas experiências passadas nas prisões onde fizeram as entrevistas e no pequeno escritório localizado nos porões da sede do FBI. Não há como não se identificar com os personagens despertando para a realidade muito mais cinzenta que o conservadorismo da época lutava, mesmo que inconscientemente, para reprimir. Aqui é fácil fazer um paralelo com os dias de hoje, onde uma parte da população cada vez maior decide por ignorar todo um cenário de abusos e violência para simplesmente taxar criminosos (normalmente negros, latinos e pobres) como a maçã podre da sociedade.

Mindhunter é uma série muito bem produzida, contando com uma reconstituição de época impecável, uma trilha sonora que merece aplausos e que aborda temas polêmicos como o fascínio por assassinos em série e a origem da psicologia criminal. Alguns podem considerar o rítmo um pouco lento e a ausência de ação frenética tão comum em outras séries pode desagradar outros. Porém, a série é acima de tudo sobre os personagens e o diretor optou por desenvolvê-los gradualmente, alcançando um resultado bem acima da mediocridade que temos visto por aí.

Recomendo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s