Evento 80: Primeira Parte

Back-to-the-80s-logo-1.png

Eu tenho uma teoria.

Algo absolutamente extraordinário aconteceu há cerca de 40 anos atrás.

Não sei ao certo o que deu causa, se a colisão de infinitas realidades alternativas ou um paradoxo temporal mal resolvido, mas o fato é que dele surgiu uma ruptura no espaço…uma brecha por onde escoava para o nosso planetinha azul todo o tipo de coisas incríveis e/ou bizarras. Seres alienígenas, vampiros e lobisomens, gremlins ensandecidos, fantasmas, piratas, xuxa, bozo e até o Michael Jackson. Ser criança naquela época era super fantástico…e ao mesmo tempo arriscado demais. Você podia estar em casa jogando um RPG com a turma, tranquilão, ou passeando num parque de diversões com a família…quando, de repente, a maior aventura da sua vida poderia surgir na sua frente, esticando um dedão iluminado na sua cara e  pedindo um “telefone minha casa”.

Preocupado que sou com o futuro dos meus filhos, decidi escrever esse pequeno texto…na verdade um miniguia de sobrevivência… no caso desse evento vier a se repetir, ou se, por acidente, alguém vier a tropeçar num delorean prateado e acabar retornando àqueles dias malucos.

A regra de ouro é simples: tenha amigos. Não existe outro meio…sozinho você não é ninguém. Forme uma turminha, de preferência a mais eclética possível. Junte cores, credos, nacionalidades, sexo, tamanhos. Se todos forem nerds ajuda (toda a sabedoria está contida nos quadrinhos), mas não tenha preconceitos…se o atletinha ou a cheer leader quiser unir forças, beleza! O importante é ter uma galera por perto. Eles serão suas testemunhas do inacreditável, e, na hora do aperto, estarão lá para estender a mão e dizer: conta comigo.

Montar esse time não é problema. Podem ser seus amigos da escola ou vizinhos. Contudo, se você tem mesmo a intenção de criar algo realmente profissional, alguns elementos são indispensáveis:

ferris_buellers_day_off_l_1920x1080.jpg

Ferris Bueller – Curtindo a Vida Adoidado.

-O líder.

O líder é o ponto de partida. Não precisa de nenhuma habilidade atlética…nem ao menos ser saudável. Ele é sim um visionário. Dotado de altruísmo, senso de responsabilidade, companheirismo, persistência e esperança inabalável….e, claro, uma lábia invejável! Do tipo capaz de instigar moleques de doze anos a fazerem o que é certo, mesmo que para isso precisem enfrentar, munidos de atiradeiras, uma criatura fugidia de um outro plano dimensional.

wargames_still8.jpg

David Lightman – Jogos de Guerra.

-O gênio

Nos anos 80, a tecnologia já dava pinta de que acabaria, algum dia, virando coisa de jornada nas estrelas. O problema é que, diferente de hoje, o cara precisava ser fera de verdade pra operar um computador. Aliás, você precisava ser bem fera até para colocar a hora certa no vídeo-cassete. Então, se puder encontrar alguém com esse nível de sagacidade, e se, pra sua sorte, este ainda contar com aquela criatividade de macgyver que o permite unir e transformar dentaduras, chicletes e molas numa arma de combate ao crime, agarre-o.

maxresdefault.jpg

John Bender – O Clube dos Cinco.

– O sacana

É preciso um camaradinha com a manha, com um gingado malandro e um toque de mau humor. Aquele que, até o fim, manterá um ar blasé, fingindo que está muito mais interessado em salvar sua própria bunda do que se arriscar por um amigo que nem mesmo sabe se está vivo. É o contraponto do líder. O cara que o enfrenta e às vezes até na base da agressão. Isso, na verdade, mais fortalece do que diminui os argumentos do comandante. E quando os dois, perto do fim, se unirem assumindo o bromance, pronto…ninguém conseguirá pará-los.

chunk-the-goonies-620x620-1397145352.jpg

Chunk – Os Goonies.

– O gordo.

Antes do apedrejamento, por favor….permita-me dizer uma coisinha: chega de bullying, ok?Mas convenhamos…os zoados daqueles tempos pareciam mais resistentes emocionalmente do que os das gerações pós-grunge. Não íamos pra casa para afundar nossas fuças em um travesseiro encharcado de lágrimas. Não, senhor. Ou tacávamos uma pedra na testa do mala implicante, saindo correndo em seguida, ou comprávamos (com lanches ou cola) um valentão maior e mais forte.

Dito isto, vamos assumir…o gordinho é fundamental. O cara não é apenas o alívio cômico da aventura, mas o elemento de ligação. Sua barriga estufadinha de chocolate surpresa é o local ideal para abrigar um coração enorme que não cabe no peito.

Além disso, como alvo das zoações, ninguém, nem o grupo nem os vilões, esperarão que alguma coisa de útil possa sair dali. Ledo engano, pois, quando tudo parecer perdido, ele virá como um verdadeiro anjo vingador, trazendo a resposta para as suas orações.

Monster_Squad_Monsters.jpg

Frankenstein – Deu a Louca nos Monstros.

– O monstro.

Não seja preconceituoso de maneira nenhuma, rapaz. Um rosto terrivelmente desfigurado, ou caninos pontiagudos expostos não são necessariamente sinônimos de perigo. Pelo contrário. Em meio a todas as esquisitices advindas do evento, sempre haverá almas nobres e heróicas embaladas em corpos assustadores. Não julgue o livro pela capa…seja gentil…e quem sabe não se surpreenda com um Frankenstein capaz de se lançar no limbo, num sacrifício pelo bem.

bill-paxton.jpg

Chet Donnely – Mulher Nota Mil.

-O irmão

Irmãos mais velhos, em regra, eram e continuam sendo um porre . Sempre pensando em gatinhas e nos músculos que se iludem ter, viam na “amolação ao caçula” uma espécie de rito de passagem. Um dever fraternal de ensinar ao moleque a dureza da vida de um jeito que papai e mamãe jamais conseguiriam. Parece estúpido tê-los na equipe, eu sei…mas, acredite, eles se preocupam com você, só que de uma maneira estranha. E quando o bicho pegar, e você desaparecer por conta da missão, ele será o primeiro a correr feito um doido…descendo ladeiras desembestadamente ou atravessando portais dimensionais.

Essa bravura é útil, e se você somar a ela a força física que você e os seus amigos não possuem, a licença para dirigir, e a menina linda que eles geralmente costumam arrastar, fica clara a razão para aturá-los também ao longo da aventura.

-Itens e equipamentos.

Faça um checklist das coisas indispensáveis.

–            bicicletas

–            lanternas

–            walkie talkies

–            pilhas

–            walkman

–            fitas cassete

–            canete Bic

–            mapa ou livros de encantos

–            salgadinhos e doces

–            estacas de madeira

–            pistolas de água benta

–            alho

–            cruzes

Se puder agregar um cachorro à equipe, pronto! Acredito que essa listinha cobrirá todas as eventualidades.

Koton.jpg

Jerry Lee – K9 Um Policial Bom pra Cachorro.

A mais, escolha uma bela trilha sonora (Cindy Lauper, talvez?), e mergulhe…essa será uma viagem perigosa demais, é verdade. A morte morderá seus calcanhares a todo o tempo….mas confie na turma e lembre-se que talvez não haja continuação ou reencontros depois de trinta anos. Por experiência própria digo que este será, muito provavelmente, um dos momentos mais legais e memoráveis da sua vida.

Divirta-se como só um moleque é capaz de fazer!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s